ARTIGOS

Por que é chato ir à escola?

10 de Abril de 2014
Por Zero Hora

 No programa Fantástico do último domingo a série Educação.Doc mostrou como Professores do Rio de Janeiro transformaram a sala de aula num lugar significativo e interessante. Os Educadores foram desafiados a buscar alternativas, em virtude do alto índice de abandono Escolar, resultado da ausência de relações entre o conhecimento aprendido na sala de aula e o vivido pelo Aluno em seu cotidiano. Mais fantástico seria se experiências como estas ocorressem no país inteiro, que fossem a regra e não a exceção.

 
Os obstáculos enfrentados pela Educação no Brasil não são consequência de um único problema. Mas acredito que um deles esteja na divisão do conhecimento científico em disciplinas Escolares. Isso ocorreu lá pelo final do século 19, quando o país vivia um tempo de inúmeras mudanças. Acreditava-se que a especialização de cada ciência traria mais saber. E isso impediu – desde aquela época e até os dias de hoje – que a sociedade tivesse uma perspectiva do todo. É incrível como pouca coisa mudou na Educação nos últimos cem anos. Como já disse certa vez o Professor Muniz Sodré: a Escola é do século 19, o Professor do século 20 e o estudante do século 21: como isso pode dar certo?
 
É por isso que aposto numa Educação interdisciplinar. Como o conhecimento e a nossa própria vida são interdisciplinares por essência – ou seja, não fazemos apenas uma coisa, mas utilizamos saberes plurais para resolvermos várias questões ao mesmo tempo –, esta seria a maneira mais coerente de ensinarmos nossos Alunos.
 
Por que é chato ir à Escola? Porque lá o conhecimento está dividido em caixinhas: português, matemática, ciências, história... As especializações nos fazem perder a compreensão do todo. Não é por nada que não lidamos bem com mudanças: de cidade, de casa, de trabalho. Aprendemos a resolver parcialmente os problemas. Por isso é chato ir à Escola. Se a vida é interdisciplinar, a Escola deveria ser também, não é mesmo?
 
A Escola continuará chata enquanto os Professores derem suas aulas com as portas fechadas. É preciso reciprocidade e objetivos comuns entre os Educadores. Trabalhar de maneira interdisciplinar não é tarefa fácil. Os Professores têm muitos impedimentos: conseguir cursar uma formação continuada de qualidade, receber salários mais dignos, poder criar novas concepções de tempo e espaço nas instituições etc.
 
O papel da Escola, dos Professores e dos Alunos precisa ser repensado. Se a sociedade mudou, os Professores e as Escolas também precisam mudar – e nós, Docentes, estamos esperando que o modo como o Estado tem tratado a Educação também mude! Enquanto a Escola for quadrada, ela vai continuar chata. Mas, sim, a Escola pode ser um lugar legal. Eu acredito que as coisas possam mudar. Sei que ninguém pode transformar a Educação sozinho. Portanto, é necessário diálogo, atitude e muito trabalho de equipe.
 
*Jônatas Marques Caratti é professor universitário e historiador. 

 

Zero Hora

 
 
A importância do jogo na aprendizagem da matemática e na Educação Infantil
Leia. - ver mais
Leitura: por que ler com os bebês
. - ver mais
Vínculo familiar antes de tudo
. - ver mais
Como saber se o professor dá certo?
Em primeiro lugar, ele precisa dominar muito bem os conteúdos que leciona. Em segundo, saber ensinar e transmitir os conhecimentos com entusiasmo. - ver mais
Brasil avançou em quantidade de alunos, mas deve em qualidade de ensino
. - ver mais
Home
Prêmios
Depoimentos
Contato
Projetos
Institucional
Cursos
Eventos
Notícias
Artigos
Contato:
End: R. Barão de Ubá, 556
Bairro: Tiradentes
Cep: 79041-430
Cidade: Campo Grande-MS 
Tel: (67) 3341-1013 
Fax: (67) 3341-6972
OMEP/BRASIL © 2002 a 2014 - www.omep.org.br